Aumento na conta de energia elétrica

O que foi decidido em relação a nova tarifa de energia?

A Aneel decidiu autorizar a cobrança extra na conta de energia elétrica a partir de terça feira, dia 1°de dezembro. A cobrança entrou em vigor derrubando a promessa do governo de que não haveria aumento durante o período da pandemia, no ano de 2020.

A taxa que será cobrada está classificada como patamar 2, bandeira vermelha, que onera em R$ 6,24 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.

Entendas o sistema de bandeiras:

                                                            Figura 01: Fonte G1

 

Quais os motivos que ocasionaram o aumento?

A retomada do consumo de energia e a crise hídrica, são os argumentos usados para explicar o aumento, também apresentado como forma de “conscientizar” os consumidores. Segundo o relator da proposta, Efrain Pereira da Cruz, “ se mostra necessário reativarmos a bandeira para conscientizarmos a população do uso racional e eficiente de energia elétrica”.

Todavia, pode-se enfatizar o desabastecimento dos principais reservatórios do país, Sudeste e Centro-Oeste, além do Sul que enfrenta falta de chuvas e consequente escassez de água nos reservatórios das hidrelétricas, como fator desencadeador da condição.

Em suma, como opção para driblar a crise hídrica e o aumento do consumo, foi acionada a geração através de termelétricas, o que pressionou o custo de geração de energia no país determinando a troca de bandeira e derivando  um custo maior para o consumidor final.

 

Quais as dicas que podem ser utilizadas pelo consumidor para não sofrer com o aumento e economizar?

Evitar deixar aparelhos eletrônicos em stand by, que mesmo desligados representam consumo elétrico.

-Investir nas lâmpadas certas, lâmpadas de LED, por exemplo, são duas vezes mais econômicas que as eletrônicas e seis vezes mais que as incandescentes.

-Instalar um sistema alternativo como o de aquecimento solar. Atualmente existem kits de vários tamanhos e necessidades e de fácil instalação.

-Analisar os aparelhos que mais demandam consumo de energia e ajustar o uso dos mesmos. Chuveiro elétrico, ar condicionado, geladeiras, máquinas de lavar e secar roupas, consomem uma grande quantidade de quilowatts para trabalhar. Fazer o uso de forma equilibrada pode alterar positivamente a conta no final do mês.

-Produzir a própria energia. As possibilidades que o mercado fotovoltaico oferece em termos de geração de energia são abundantes, tanto para residências quanto para condomínios que apresentarem viabilidade técnica, a economia pode chegar à até 95%.

Os sistemas solares geram produção limpa, não produzem resíduos ou barulhos e o custo é revertido em economia na conta de energia.

Desta forma, consumindo em um modelo consciente e usando alternativas de geração limpa e sustentável a economia é viável e concreta.

 

Fontes:

https://economia.uol.com.br

https://g1.globo.com

Compartilhar

Comentários (Nenhum comentário )

Sem comentários ainda.